sexta-feira, 29 de maio de 2009

Samba no pampa

Vumos reunir os blogs e sites sambísticos do sul?

Bom, vou começar pelo que tem na firma.

Uma turma liderada pelo Claudio Brito e seu filho Vinicius, e com um time de colaboradores que inclui a Alice Mendes, mantém por lá o heróico


que, contra a indiferença do grande público, resiste o ano inteiro, com muita atualização, e com uma quantidade de comentários que confirma a relevância entre o público a que se destina.

***

Hoje (quando eu escrevi isso, segunda-feira), em uma agradável surpresa, topei com o


tocado por quatro moças, quase tão pretas quanto a Migrante da Lomba, que "dão sua humilde contribuição pra não deixar o samba morrer". Que não morram Ariela Dedigo, Cláudia Flores, Cristiane Marçal e Liziane Cordeiro.

Achei por lá um trechinho de um dos meus sambas-enredo favoritos: Aquarela Brasileira (Império Serrano - 1969), que, agora eu sei, foi composto por Silas de Oliveira, morto há 37 anos.

Irresistível:

Vejam esta maravilha de cenário
é um episódio relicário
que o artista num sonho genial
escolheu para este carnaval


E o asfalto como passarela
Será a tela
De um Brasil em forma de aquarela




***

Presidente Javé Pagão, por favor, contaí o que há para os bons sujeitos dessa internet.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

No tempo em que o jornal tinha novidades

Com meses de atraso, como não devem fazer os bons jornalistas, eis que chega a hora de o Três pra Trás homenagear Xangô da Mangueira, que morreu em 7 de janeiro deste ano, aos 85.

Xangô foi o cara que homenageou os jornalistas: compôs Eu moro na roça, que conheci na voz de Dudu Nobre. É daquelas músicas pra ser usada em palestra, porque atribui ao jornal um papel (rá, que infame) em desuso (bah, quanta verdade na mesma frase): o de dar a saber as novidades.

Sente o trechinho: 

Moro na roça, Iaiá
Nunca morei na cidade
Compro o jornal da manhã
Pra saber das novidades



Vamos ouvir, então, na voz de Clementina de Jesus:


Pra quem achar barulhento, tem também essa versão mais limpa, e portanto mais chata, do Zeca Pagodinho com o Arlindo Cruz.

***

Quem me deu a conhecer a notícia da morte do homem foi a honorável Alice Mendes, no Samblog.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Dama da Ponte na Rampa do Planalto

Não dá pra segurar. Os camaradas do bloco anda se espraiando cada vez mais, como diria um repórter de tevê.

Na última segunda-feira, saudamos a evasão da componente Dama da Ponte, que promete trazer o gingado do cerrado na próxima edição do carnaval do Três pra Trás. Tal qual João de Santo Cristo, foi pra Brasília. 

- Nesse país lugar melhor não há -, disse, na despedida.

Vai lá, rainha da bateria. E vê se não perde o compasso na rampa. Te queremos nota 10 em evolução e harmonia.

Avante!